NOTÍCIAS


Projeto de lei que autoriza contratação emergencial de professores e servidores de escola

Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade, na tarde desta terça-feira (22), o projeto de lei que autoriza o governo do Estado a contratar temporariamente até 9.016 profissionais da área da Educação – entre eles, até 5 mil professores. O PL 364/2023 recebeu 52 votos favoráveis.

A previsão do Executivo é de contratar inicialmente entre 2 mil e 2,5 mil. Apesar do resultado, as bancadas de oposição destacaram que o apoio não deixou de ser crítico. Por um lado, aprovando a contratação de mais profissionais, mas também criticando a modalidade que tem sido adotada: temporária. Porém, a aprovação foi avaliada como positiva pelo Cperssindicato que representa professores, funcionários e especialistas da rede estadual.

A proposta tramitou em regime de urgência, ou seja, passados 30 dias do protocolo pelo Poder Executivo, ela passaria a trancar a pauta do parlamento gaúcho. No entanto, a apreciação da matéria ocorreu 18 dias antes do prazo se esgotar.

Em sua justificativa, o governo do Estado argumentou que as novas contratações serão destinadas a suprir atividades de docência, orientação, supervisão e apoio escolar “em decorrência de afastamentos legais e de vacâncias que não possam ser imediatamente atendidas por servidores públicos concursados”.

— A oposição demanda que haja concurso. É claro que está na pauta do governo. Mas essa votação foi essencial. Ela significa, a partir da semana que vem, professores em todas escolas e em todos os municípios porque já estamos com o banco de professores pronto para contratação imediata. E essa era a emergência da votação — diz Raquel Teixeira, secretaria da Educação.

De acordo com o PL 364/2023, os contratos de professores, especialistas da educação e demais servidores mencionados vigorarão pelo prazo de até cinco anos e poderão ser rescindidos a qualquer momento. 

O Cpers voltou a se posicionar favorável à proposta do Executivo:

— A aprovação do PL é uma boa notícia porque poderão ser chamados professores para preencher mais 20 horas (de aulas) que estão faltando nas escolas. Também nossos funcionários e professores que estão em laudo médico poderão ficar mais tranquilos porque agora o Estado terá como chamar alguém para substituí-los — pontuou Helenir Aguiar Schürer, presidente da entidade.

O projeto aprovado prevê a contratação de:

  • Até 5 mil professores temporários para atuar na regência de classe ou na Educação Especial e Atendimento Educacional Especializado
  • Até 1.195 especialistas de educação temporários para atuar como supervisor escolar
  • Até 596 especialistas de educação temporários para atuar como orientador educacional
  • Até 1.150 agentes educacionais temporários para atuar na interação com educandos
  • Até 1.075 agentes educacionais temporários para a administração escolar

Prorrogação de mais 36 mil contratos

A matéria incluiu, também, a prorrogação, por mais cinco anos, de:

  • 25 mil contratos temporários para professores
  • 600 contratos temporários para a função de orientador educacional
  • 450 contratos temporários para a função de supervisor escolar
  • 9.820 contratos temporários de servidores de escola
  • 150 contratos temporários de técnicos agrícolas

*Colaborou Vinicius Coimbra

 GZH

Foto: Jônatha Bittencourt / Agencia RBS




23/08/2023 – Grupo Guaramano

COMPARTILHE

SEGUE A @HTTPS://WWW.INSTAGRAM.COM/RADIOGUARAMANO98.1FM/

98.1 – (55) 3353-1721
91.1 – (55) 3353-2121

grupoguaramano@yahoo.com
Guarani das Missões – RS
Av. Castelo Branco, 1053 – Centro, 97950-000

NO AR:
PROGRAMA INDEPENDENT