NOTÍCIAS


Milho tem quebra irreversível e pode piorar

Com chuvas esparsas desde novembro de 2022, o Rio Grande do Sul passa, pela terceira vez consecutiva, por uma estiagem que coloca a produção agropecuária em risco. Afetado já em sua fase de desenvolvimento, o milho é um dos cultivos com maiores perdas. “Tem uma quebra de safra muito grande”, diz o coordenador da Câmara Setorial do Milho da Secretaria da Agricultura, Paulo Vargas. Segundo ele, muitos produtores já acionaram o seguro e outros cortaram os pés de milho para fazer silagem – apenas com palha, portanto menos nutritiva – uma vez que as plantas não formaram espiga. 

“As perdas são parecidas com as do ano passado, mas ainda não conseguimos quantificar”, diz Vargas. “Tem regiões que pegaram alguma chuva e outras não pegaram”. Vargas relata que enquanto no Norte e Noroeste do Estado as plantações de milho foram pesadamente afetadas, em outras áreas, em que é possível utilizar o sistema irrigado de sulco-camalhão, houve boa produção. Em muitos desses locais há produtores com tradição no cultivo do arroz que recentemente adotaram, também, a produção de milho. “Em Jaguarão, que tem o uso do sulco-camalhão, eles irrigam e conseguem uma boa produtividade, mas essa é uma tecnologia para regiões planas, que no Norte nós não temos”, exemplifica. Segundo o coordenador, as perdas foram ainda mais agravadas pela ocorrência de granizo na segunda semana de janeiro, em especial no Noroeste do Rio Grande do Sul.

Fonte Texto: Correio do Povo/Camila Pessôa   Foto: Mauro Schaefer / CP.

 




14/01/2023 – Grupo Guaramano

COMPARTILHE

SEGUE A @HTTPS://WWW.INSTAGRAM.COM/RADIOGUARAMANO98.1FM/

98.1 – (55) 3353-1721
91.1 – (55) 3353-2121

grupoguaramano@yahoo.com
Guarani das Missões – RS
Av. Castelo Branco, 1053 – Centro, 97950-000

NO AR:
ESTAÇÃO SUCESSO